Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Conto Erótico » Contos de Sexo » Segredos de família

Segredos de família

Publicado em 20/11/2023 por Trod

Pt 1 – Almoço de domingo É uma manhã de domingo e uma moto para em frente a uma residencia ampla com trepadeiras se prendendo aos altos muros. É Cleber que acaba de chegar para o almoço na casa de sua namorada, Silvia, que prontamente vai abrir o portão. -Até que não se atrasou. – Ela fala em tom irônico enquanto Cleber tira o capacete e depois de um beijo e de acomodar o capacete no guidão da moto, os dois entram de braços dados. Os dois cruzam a sala e chegando até a cozinha, veem dona Ciene, mãe de Silvia, a beira da pia, de costas cortando alguns legumes para temperar uma carne. Ciene é divorciada a 5 anos e é uma mulher de muita beleza apesar de seus 42 anos de idade, o que acaba despertando um certo interesse da parte de Cleber que nesse momento olha fixamente para a bunda de sua sogra como que em transe. -Entã você é o Cleber! Prazer em conhecer.- Ciene fala cumprimentando o genro que acaba de conhecer e está em um momento de distração. -E ae, Cleber! Parece que tá no mundo da lua!- Ela insiste dando risada e Cleber em um breve momento, volta a sí cumprimentando a sogra de volta. Ciene com sua carga de experiência percebe o que acaba de acontecer e solta um olhar malicioso para o genro que tenta disfarçar inútilmente.
Batidas são ouvidas no portão e Ciene deixando sua filha e Cleber na cozinha vai atender. É sua irmã Simone que acaba de chegar para o almoço com seu filho Simas. Simone é uma mulher um tanto gorda mas bem atraente, sempre bem humorada e conseqüentemente bem brincalhona também. Sem falar que é uma exímia beberrona.
Ciene abre o portão e Simone entra segurando um cooler repleto de cerveja e largando o cooler no chão, Ela dá um caloroso abraço na irmã. – Como é bom vir comer às suas custas mais uma vez, irmãzinha! – Simone fala em um tom de gracejo arrancando gargalhadas de Ciene que retribui o abraço com grande fervor.
– Deixe de graça e entre logo. Ainda tem muito o que fazer na cozinha! – Ciene fala puxando a irmã pelo braço e depois de cumprimentar o sobrinho e Simone abrir uma lata de cerveja, as duas seguem para a cozinha acompanhadas de Simas.
Cleber é apresentado a Simone e seu filho e o almoço transcorreu tranquilamente com conversas bem humoradas e olhares salientes de Cleber para sua sogra que está sentada de frente para ele com uma blusa amarela bem decotada dando ênfase aos seus seios relativamente grandes até que Simone se levanta para pegar um pouco mais de molho para colocar na lasanha e acidentalmente deixa derramar um pouco sobre os seios da irmã. -Minha nossa, Simone! A conversa foi tão legal que eu esqueci que você é a irmã desastrada da família! – Ciene fala sorrindo e consequentemente todos na mesa riem também inclusive Cleber que ficou um tanto constragido. Simone pede desculpas ainda dando risada e Ciene então pega um pano de prato para se limpar mas para por um instante e olhando para Cleber, ela larga o pano de prato e se levanta. -É melhor eu limpar isso aquí no banheiro, o serviço fica mais bem feito!- Ela fala sorrindo meio sem jeito e vai até o banheiro. Cleber fica ainda mais constrangido comendo cada vez mais rápido e Simone, por sua vez, não deixa de notar o que de fato aconteceu alí.
Enquanto Ciene se limpa no banheiro, Simone conversa com Cleber e Sílvia perguntando sobre o namoro, sobre a família de Cleber, falando um pouco sobre sua própria vida, sobre o fato dela ser viuva e como o filho dela, o Simas, é um garoto bom nos esportes e coisas do tipo mas logo Ciene volta a mesa e após terminarem o almoço, todos se dirigem para o quintal a sombra de uma mangueira frondosa onde se encontra uma churrasqueira já em brasas. Ciene liga o aparelho de som enquanto Simone vem trazendo o cooler ainda repleto de cerveja e oferece uma a Cleber que aceita prontamente. -E você, Sílvia? Não vai tomar ao menos umazinha se quer? E Você Ciene? Você eu sei que sempre gostou de tudo que lhe deixa fora de sí!- Simone fala entregando uma lata de cerveja a sua irmã e sua sobrinha. As duas aceitam e então começam a beber e desfrutar de um bom churrasco em um momento de descontração.
Já são mais de duas da tarde, Simas em um canto isolado longe dos olhares, se diverte jogando no seu aparelho celular enquanto Cleber, Sílvia, Ciene e Simone bebem e conversam a sombra da frondosa mangueira, mas logo Silvia, após se sentir meio tonta depois de 3 latas de cerveja, resolve parar por alí, sendo provocada por sua tia que insiste que ela beba mais um pouco. -Ora essa! Se a menina não quer mais beber, então não precisa insistir. É até bom ver que minha filha tem auto controle, sendo assim, eu bebo por ela!- Ciene exclama meio embriagada enquanto abre outra cerveja e percebendo que Cleber continua a lhe desferir olhares, ela começa a fezer discretas provocações para ter certeza da intenção do rapaz como empinar bem a bunda ao se abaixar pra pegar cerveja no cooler, deixar a bebida escorrer levemente no canto da boca e até deixar a alça de sua blusa descair dos ombros e a medida que faz as provocações ela percebe o quanto ele fica constrangido até que ele pede licença e vai até o banheiro. -Esse é o mau da cerveja, a mijadeira!- Simone fala enquanto Ciene e Sílvia dão risada do comentário que ela acaba de fazer e não demora até que Ciene decide ir buscar mais coxas de frango na cozinha deixando sua filha e sua irmã embaladas por um interativa conversa sobre cosméticos.

Segredos de família

Segredos de família

Cleber, ainda no banheiro, agora termina de urinar. Mais aliviado, ele abre a porta do banheiro e segue pelo corredor até a cozinha, é quando se depara com Ciene abaixada, apanhando uma vasilha embaixo da pia para colocar as coxas de frango. Ela está vestindo um shorte um tanto apertado que junto a posição que ela se encontra, faz aparecer sua calcinha e dar mais volume a sua bunda.
Cleber quando vê aquela cena fica imóvel, novamente como em transe. -Ha! Você ainda está aí. Eu vim aquí pegar mais algumas coxas de frango.- Ciene fala se levantando com a vasilha na mão e logo percebe o volume na calça do genro que tenta disfarçar com as duas mãos mas é inútil.
Vendo que ela percebeu, ele tenta driblar a situação pedindo desculpas por estar daquele jeito diante dela, mas por um instante, Ciene já embriagada, fica calada enquanto se aproxima de Cleber que nem se quer tem a reação de se mover. -Eu sabia que você tava agindo estranho por minha causa. Sempre que olhava pra mim você ficava constrangido. E não precisa esconder isso aquí, eu sou bem madura e experiente pra entender que é normal para um homem ficar de pau duro quando acha uma mulher atraente.- ela fala enquanto segura firme o pênis de Cleber sobre sua calça e ao mesmo tempo empurra ele suavemente de volta para o banheiro. -Dona Ciene, eu realmente não tive a intenção!- Cleber fala com a voz tremula mas tomado pela excitação. -Fica tranquilo. Se quer saber, ver que estou sendo desejada por um cara bem mais jovem me deixou muito excitada!- Dito isso, Ciene abre o zíper da calça de Cleber que agora percebendo que é correspondido em seu desejo sexual e também levemente embriagado, começa a tomar atitude e depois de fechar a porta do banheiro, abaixa a calça e a cueca enquanto Ciene amarra seu cabelo como rabo de cavalo e se ajoelha diante dele. Ela olha fixamente para aquele pênis extremamente duro como que maravilhada, tendo em vista que des de sua separação ela não via aquilo tão de perto. Os dois não falam mais nada enquanto Ciene encosta seus labios suavemente na ponta da cabeça do pênis de Cleber. No mesmo instante, ele sente um forte arrepio percorrer seu corpo, um arrepio agradável e excitante. Então Ciene desliza sua boca lateralmente em seu membro por repetidas vezes ao mesmo tempo que uma sensação prazerosa toma conta de seu corpo fazendo sua buceta ficar extremamente molhada ao ponto de ficar aparente no seu shorte de cor azul.
Instintivamente, Cleber segura os cabelos de Ciene tomando o controle da situação o que a deixa mais excitada ainda fazendo com que ela vá cada vez mais fundo.
Ter aquele pênis em sua boca lhe faz arder em prazer de forma que ela movimenta a cabeça cada vez mais rápido deixando Cleber ainda mais excitado e depois de um brusco engasgo ela se afasta tirando assim o pênis dele de sua boca. -Quero sentir o gosto de sua gala, garotão!- Ciene fala olhando fixamente nos olhos de Cleber que ao ouvir aquelas palavras tira a blusa de sua sogra fazendo seus seios ligeiramente volumosos saltarem a mostra. Para uma mulher de 42 anos, Ciene tem seios firmes, aliás, ela nunca descuidou de seu corpo, sempre se exercitando e evitando excessos alimentares. Ela então pressiona o pênis de Cleber entre seus seios e começa a masturba-lo lentamente ao mesmo tempo que toca a cabeça de seu pênis com os lábios e entre discretos gemidos e murmúrios, Ciene sente o pênis de seu genro latejar cada vez mais, ela então masturba ele ainda mais rapido e como numa sincronia perfeita, abre delicadamente a boca de uma maneira sexy e nesse momento, Cleber solta uma boa quantidade de esperma da qual boa parte é despejado na boca de Ciene e a outra parte em seus deliciosos seios. Ela lambe os lábios com os olhos fechados ainda ardendo de tesão enquanto Cleber esfrega seu pênis no seu rosto cheio de esperma.
-Tia! Você tá aí? Preciso usar o banheiro!- Simas, o filho de sua irmã, bate à porta do banheiro enquanto na euforia do susto, Ciene e Cleber se vestem rapidamente. Com um pequeno gesto, Ciene pede para Cleber ficar quieto. -Já estou saindo, meu amor!- Ela fala ao sobrinho enquanto limpa o esperma de seu rosto e seus seios. Em seguida, Ciene abre a porta lentamente de forma a esconder Cleber da vista do garoto. -Preciso muito usar o banheiro, tia!- Simas exclama com um olhar ansioso enquanto Ciene sai do banheiro e fecha a porta devagar. -É melhor você usar o banheiro do meu quarto, meu querido. A tia acabou de fazer o número 2 e o cheiro aí dentro não tá nada bom!- Diz Ciene dando uma leve risada. Simas então segue até o banheiro do quarto de sua tia. -Já pode sair, garotão!- Ciene bate na porta falando a Cleber que sai do banheiro meio sem graça. -Isso foi uma loucura!- Ele fala ofegante enquanto caminha no corredor ao lado da sogra que volta rapidamente ao banheiro para trocar o short. -Você me deixou muito excitada, rapaz e ainda estou, mas temos que nos recompor. Agora vamos!- Diz Ciene pegando a vasilha com as coxas de frango e entregando a Cleber. Os dois voltam para debaixo do pé de mangueira, Ciene usando o protesto de que seu genro estava lhe ajudando a temperar o frango para justificar a demora e Cleber disfarçando ao máximo. Então os quantro voltam a beber tranquilamente mas Cleber e Ciene agora com o pensamento um no outro.

1703 views

Contos Eróticos Relacionados:

O dia de comer a branquinha do bairro Quatinga em Mogi

Chegou o dia de comer a branquinha do bairro Quatinga em Mogi, confesso que parecia que isso nunca iria acontecer com a gente. Essa Bruxinha Branca vivia de querer fazer jogo de mulher difícil...

LER ESTE CONTO

Viagem à trabalho terminou em ménage

Viagem à trabalho terminou em ménage - Trabalho no ministério da saúde, fui a São Paulo fazer uma palestra para secretários de saúde dos estados. Por acaso no jantar do hotel onde estava vi...

LER ESTE CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 3 + 1 = ?

geo-objects.ru - O Seu Site de Contos Eróticos 

Aqui no Blog Conto Erótico, nós trazemos todos os tipos de contos eróticos para alegrar e animar o seu dia. Nossos contos eróticos são enviados por nossos leitores e colocados aqui para excitar a todos. Sempre postamos contos eróticos com fotos, pois sabemos que isso deixa a história mais real e fácil de ser imaginada. Histórias porno, contos picantes, contos de sexo, fábulas eróticas, não importa qual o nome você dê, nós traremos tudo que você precisa para se divertir.

Todos os nomes dos contos eróticos são alterados por nossa equipe para preservar a identidade de todos, e todos os personagens que participam de nossas histórias eróticas são maiores de 18 anos.

Contos Eróticos Com Fotos

Todos os nossos contos tem pelo menos uma foto, pois sabemos que ler um conto erótico com foto é bem melhor do que só ler uma história solta, sem nenhuma imagem para ilustrar. As fotos dos nossos contos são meramente ilustrativas, são retiradas da própria internet, de sites pornográficos que divulgam essas imagens de forma gratuita.

Caso alguma imagem dos nossos contos eróticos com fotos pertença a você e você quer que seja removida, basta entrar em contato e enviar o link do conto que faremos a substituição. Algumas imagens também são enviadas pelos próprios autores dos contos.

Caso você precise entrar em contato conosco, basta usar a nossa página de contato.

Para enviar contos eróticos para serem publicados em nosso site, vá até a página "Enviar Seu Conto Erótico" e escreva sua história que postaremos aqui.

- - - - - - - - -  - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

© 2023 - Conto Erótico -